quarta-feira, 16 de setembro de 2009

ILHA FORMOSA

Ilha Formosa, torrão fecundo
Pedaço do mundo onde Deus veraneou.
Tardes amenas, noites serenas,
Manhãs morenas de esplendor.

Quando chega a alvorada,
A passarada põe-se a cantar.
Saudoso núncio, canto do galo,
E a estrela d'alva a despertar.


Poesia de autoria do meu avô Aurino Costa - feita em homenagem a sua terrinha, a Ilha Formosa, onde viveu boa parte dos seus últimos anos, na cidade de Canavieiras, sul da Bahia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário